ETIOPIA 2015

  • MONTANHAS SIMIEN

    Macho Gelada (Theropithecus gelada) na beira de penhasco. © Haroldo Castro / Viajologia

  • RIO NILO AZUL

    Abelharuco-de-peito-azul (Merops lafesnayii) nas margens do rio Nilo Azul. © Julio Cesar Pires

  • LAGO TANA

    Sacerdote a caminho do monastério Ura Kidane Mehret. © Wilton Esteves

  • LAGO TANA

    Uma das quatro paredes do monastério Ura Kidane Mehret. © Wilton Esteves

  • LAGO TANA

    Pescador em balsa de papiro mostra resultado da pesca. © Giselle Paulino / Viajologia

  • GONDAR

    Paredes e teto da igreja Debre Berhan Selassie. © Haroldo Castro / Viajologia

  • GONDAR

    Sacerdote entra no recinto de Debre Berhan Selassie. © Julio Cesar Pires

  • MONTANHAS SIMIEN

    Macaco macho Gelada com filhote. © Giselle Paulino / Viajologia

  • MONTANHAS SIMIEN

    Macho Gelada bocejando recebe carinho de fêmea. © Haroldo Castro / Viajologia

  • MONTANHAS SIMIEN

    Os Geladas possuem um vasto repertório de vocalizações. © Haroldo Castro / Viajologia

  • MONTANHAS SIMIEN

    Grupo de viajantes fotografam um bando de Geladas. © Eliane Pires

  • LALIBELA

    Bastões rituais usados por sacerdotes ortodoxos. © Sofia Pires

  • LALIBELA

    Jovem reza dentro da igreja Bet Medhane Alem. © Claudia Padaratz

  • LALIBELA

    Leitura da Bíblia durante a Semana Santa. © Haroldo Castro / Viajologia

  • LALIBELA

    Fiéis ao redor da igreja Bet Medhane Alem. © Eleonora Vasconcellos

  • LALIBELA

    Fiel em alcova cavada na rocha de uma igreja. © Thamyres Matarozzi

  • LALIBELA

    Grupo de mulheres rezam durante a Semana Santa. © Luiza Helena Cosenza

  • LALIBELA

    Fiéis durante apresentação dos tesouros em Bet Maryam. © Giselle Paulino / Viajologia

  • LALIBELA

    Apresentação dos tesouros de Bet Maryam na Sexta-Feira Santa. © Mitiko Magalhães

  • LALIBELA

    Vigília do Sábado de Aleluia em Bet Maryam. © Haroldo Castro / Viajologia

  • VALE DO RIO OMO

    Jovem com camiseta da seleção etíope em Key Afar. © Thamyres Matarozzi

  • VALE DO RIO OMO

    Menino da etnia Karo em sua aldeia Kolcho. © Haroldo Castro / Viajologia

  • VALE DO RIO OMO

    Mulher da etnia Mursi com disco de argila no lábio inferior. © Haroldo Castro / Viajologia

  • VALE DO RIO OMO

    Homem Mursi com dentes de javali decorando a cabeça. © Haroldo Castro / Viajologia

A VIAGEM

Pelo segundo ano consecutivo, um grupo de 11 brasileiros viajou à Etiópia em abril de 2015 para conhecer as riquezas naturais e culturais do país. Depois de um jantar cultural na Embaixada do Brasil em Addis Ababa, fomos à Bahir Dar para ver as cascatas do rio Nilo Azul e conhecer as pinturas do monastério Ura Kidane Mehret no lago Tana.

Por uma boa estrada, subimos até o Parque Nacional Montanhas de Simien, considerado como Patrimônio Mundial pela Unesco. A mais de 3.000 metros de altitude, encontramos diversos bandos de macacos Gelada, uma espécie endêmica à Etiópia. O Gelada é um primata extremamente sociável e o único que pasta: sua dieta é quase que exclusivamente composta de grama.

Após a visita da igreja Debre Berhan Selassie e dos castelos da dinastia Fasilidas em Gondar, chegamos em Lalibela para ver e fotografar os festejos da Páscoa nas igrejas esculpidas na rocha. A apresentação dos tesouros de Bet Maryam e a vigília do sábado à noite foram dois momentos inesquecíveis, quando os fiéis ortodoxos mostraram sua profunda devoção.

De volta à capital, sete viajantes continuaram a jornada para percorrer o sul do país, com o objetivo de visitar vilarejos e mercados das tribos do vale do rio Omo. Rodeados por magníficas paisagens e uma vegetação exuberante, vivemos dias de descobertas intensas ao entrarmos em contato com os costumes de povos autênticos como os Karo, Mursi ou Tsemay.

Veja o Itinerário Completo da viagem em abril 2016.

DEPOIMENTOS DOS VIAJANTES

A viagem foi muito rica e diversa. Adorei a vivência na natureza, no maravilhoso Parque Nacional Montanhas de Simien, com os adoráveis Geladas. Também foi singular o componente cultural e religioso durante a Páscoa em Lalibela. Os encontros com os grupos étnicos do vale do rio Omo, em suas aldeias e mercados, foram ainda mais marcantes! A jornada à Etiópia me enriqueceu muito!

Luiza Helena Cozenza, administradora de empresas, São Paulo

Viajar à Etiópia significou um impacto em meus sentidos – literal e metaforicamente. Enquanto tento entender tudo que vivi e à medida que me recordo e revejo fotografias sou transportada novamente para aquele mundo tão estranho e, ao mesmo tempo, tão familiar: fé, cheiros, cores, crianças, tribos, sorrisos, rituais, natureza. Enfim, uma viagem maravilhosa e surpreendente!

Eleonora Meira de Vasconcellos, bióloga, Rio de Janeiro

Essa foi minha primeira expedição fotográfica a um país exótico. A logística foi muito bem organizada e, o mais importante, me senti muito à vontade com o grupo de viajantes. Foi muito bom fotografarmos juntos. Rapidamente, criamos uma sinergia muito legal entre nós, todos respeitando o ritmo, o tempo e a técnica de cada um.

Wilton Esteves da Fonseca, engenheiro, São José dos Campos

A viagem para a Etiópia não é para qualquer um. Mas há algo tão rico nessa jornada que qualquer dificuldade se torna, de fato, um aprendizado. A Etiópia é um lugar diferente de tudo que já vi e sua cultura é muito bem preservada. Seus habitantes me surpreenderam demais. Posso dizer que conhecer os etíopes e ter esse contato com um “outro tão diferente” cativou meu coração.

Thamyres Matarozzi, fotógrafa, São Paulo