ETIÓPIA 2018

  • Noite de vigília em Bet Giyorgis em LALIBELA

  • Pinturas murais em Ura Kidane Mehret no LAGO TANA

  • Cachoeiras do rio Nilo Azul perto de BAHIR DAR

  • Teto da igreja Debre Berhan Selassie em GONDAR

  • Um dos castelos do Rei Fasilidas em GONDAR

  • Bet Giyorgis (São Jorge) esculpida na rocha em LALIBELA

  • Bet Abba Libanos durante a Páscoa, em LALIBELA

  • Procissão na Sexta-Feira Santa em LALIBELA

  • Paisagem de montanhas no NORTE DA ETIÓPIA

  • A Injeera é uma panqueca preparada com o cereal Teef

PÁSCOA NA ETIÓPIA E TRIBOS DO VALE DO OMO


Desde minha primeira visita à Etiópia em 1983, quando descobri as igrejas esculpidas de Lalibela, o país passou a integrar minha lista dos lugares mais admiráveis do planeta. Assim, regressaremos com entusiasmo em abril de 2017 com um grupo de viajantes experientes para festejarmos a Páscoa Ortodoxa (Fasika) e apreciarmos as riquezas culturais do norte do país.

A Páscoa etíope é uma das festas mais autênticas, coloridas e fotogênicas do mundo. O viajante irá assistir procissões e vigílias que marcarão sua memória, ouvir os cânticos das cerimônias e sentir o cheiro das velas nas igrejas esculpidas na rocha. A jornada também nos fará conhecer a gentileza do povo etíope e a deliciosa culinária local.

A segunda parte da viagem acontecerá no vale do Rio Omo, onde visitaremos aldeias de diversas etnias e mercados tradicionais. Será uma experiência única, pois as tribos do sul do país representam alguns dos últimos exemplos de povos nativos africanos com pouca influência ocidental. Venha viajar conosco! Confira a Galeria de Fotos Etiópia 2015.


por Haroldo Castro

    SAIBA MAIS

      Datas

      de 11 a 22 abril de 2017 (12 dias)

    • Grupo

      4 a 7 viajantes
      VIAGEM CONFIRMADA
      GRUPO FECHADO

    • Transporte local

      Aéreo doméstico no norte do país e terrestre no sul.

    • Aéreo Internacional

      São Paulo–Adis Abeba (ida e volta) pela Ethiopian Airlines.

    • Custo da parte terrestre

      entre em contato

    • Custo inclui

      Hospedagem em apartamento duplo; três refeições diárias; guias locais; transporte local em van nas cidades; traslados aos aeroportos etíopes; entradas em museus, monumentos, igrejas e monastérios; álbum de fotografia produzido depois da viagem; exemplar autografado de “Luzes da África”; acompanhamento fotográfico de Haroldo Castro (opcional).

    • Experiência

      Haroldo Castro esteve seis vezes na Etiópia. Em 2014 e em 2015, levou dois grupos de viajantes brasileiros para conhecer a riqueza cultural do norte do país. Durante a expedição jornalística “Luzes da África”, em 2010, ele rodou 5.800 km no país durante 23 dias. No livro Luzes da África, os capítulos 15 e 16 relatam a jornada ao norte da Etiópia. Na revista Época, o autor publicou a reportagem: A fé no meio das pedras sobre a Páscoa em Lalibela.

    SAIBA MAIS
Vídeo produzido por Mikael Castro e Haroldo Castro apresentando as riquezas culturais do norte da Etiópia e a tradição cristã ortodoxa durante a Semana Santa. (3:26 min)
 

ITINERÁRIO DA VIAGEM (12 DIAS)

 
  • DIA 0: 10 de abril - PARTIDA

    Para viajantes fora de S. Paulo, voos de conexão à GRU.
 
  • DIA 1: 11 de abril - ADIS ABEBA

    Embarque às 01:00 no voo ET 507 da Ethiopian Airlines. Chegada na capital da Etiópia às 21:05. Jantar e noite no Hotel Júpiter em Adis Abeba.
 
  • DIA 2: 12 de abril - ADIS ABEBA

    Manhã livre para descanso (a diferença é de 6 fusos horários). Depois do almoço, iremos ao Monte Entoto, onde o Imperador Menelik II construiu em 1881 uma residência, hoje abandonada. A vista panorâmica sobre a capital é fenomenal. Na volta, visitaremos o Museu Arqueológico Nacional para observar os restos de Lucy, hominídeo bípede de 3,2 milhões de anos. Jantar e noite no Hotel Júpiter em Adis Ababa.
 
  • DIA 3: 13 de abril - ADIS ABEBA - LALIBELA

    Embarque no voo para para Lalibela. Diz a lenda que o rei Gebre Mesqel Lalibela foi envenenado e, em estado de coma, encontrou-se com Deus, que o incumbiu de uma nova missão. O soberano deveria regressar ao mundo dos humanos, esculpir onze igrejas nas montanhas de Lalibela e criar uma Nova Jerusalém. Ao retornar, o desejo divino foi colocado em prática e dezenas de milhares de camponeses tornaram-se pedreiros, que retiraram milhões de toneladas de rochas para que novas igrejas pudessem aparecer do nada. O trabalho foi tão árduo que, segundo os etíopes, contou com o apoio de uma legião de anjos. Enquanto os humanos laboravam de dia, os seres celestes completavam o serviço à noite. À tarde, visitaremos o primeiro grupo de templos, que inclui Bet Maryam, o mais popular em Lalibela e o primeiro a ser construído. Almoço, jantar e noite no hotel.
 
  • DIA 4: 14 de abril - LALIBELA

    Pela manhã, visitaremos Bet Giyorgis (em honra a São Jorge) e o segundo grupo de igrejas de pedra. A Sexta-Feira Santa será um dia repleto de celebrações. Para os fiéis da Igreja Cristã Ortodoxa da Etiópia, a Paixão de Cristo é vivenciada com grande devoção e segue uma tradição que não foi modificada há vários séculos. O mais fascinante em Lalibela é que as igrejas estão vivas. Raros monumentos com tantos séculos de idade ainda mantêm suas funções essenciais: os rituais prosseguem inalterados e a atmosfera é de fé intensa. Esperamos assistir em Bet Maryam (Casa de Maria) a exposição dos tesouros da igreja, quando quadros, cruzes e coroas são mostrados à população. Os templos de Lalibela são considerados Patrimônio Mundial. Almoço, jantar e noite no hotel.
 
  • DIA 5: 15 de abril - LALIBELA

    Passaremos pelo mercado de sábado, onde os mais variados produtos agrícolas são oferecidos, e depois iremos de van à igreja Yemrehane Christos, situada a 40 km da cidade. O templo foi construído dentro de uma gruta várias décadas antes das igrejas de Lalibela. Suas pinturas murais seriam as mais antigas do país, com cerca de nove séculos de idade. Voltaremos à Lalibela para almoço e poderemos, à tarde, regressar a algumas das igrejas para rever detalhes arquitetônicos, como em Bet Medane Alem, a maior igreja esculpida em pedra do mundo. Depois do jantar, assistiremos ao ritual religioso que conclui a Semana Santa, a vigília nas igrejas principais. Os templos ficarão repletos de devotos, com velas nas mãos, que rezarão ao som de cânticos religiosos. As leituras da Bíblia são ardentes e alguns sacerdotes lideram procissões ao redor dos templos. Outros organizam danças ao ritmo do sistro, o chocalho metálico usado pelos religiosos. Almoço, jantar e noite no hotel.
 
  • DIA 6: 16 de abril - LALIBELA - ADIS ABEBA - ARBA MINCH

    Depois do café-da-manhã, embarque no voo ET 120 às 10:30 com destino à Adis Abeba. No aeroporto, conexão imediata às 13:30 com o voo ET 135 para Arba Minch (1.500 m). Chegada prevista às 15:10. A bordo de duas camionetes 4x4, iremos por estrada asfaltada (90 km, 2 h) até Konso (1.600 m), vila considerada como ponto de entrada do território dos povos do Vale do Rio Omo. Jantar e noite no hotel em Konso.
 
  • DIA 7: 17 de abril - KONSO - TURMI

    Pela manhã, saída de Konso até Weyto por estrada asfaltada. Depois, estrada de terra até Turmi. Visita a um vilarejo Arbore, do mercado de Turmi das segundas-feiras e de um vilarejo Hamer. Jantar e noite no hotel em Turmi.
 
  • DIA 8: 18 de abril - TURMI - KARO - JINKA

    De Turmi, por pista de areia (60 km, 2 h), ida a Kolcho (900 m), vilarejo situado a 30 m acima de uma curva do rio Omo, habitado pelos Karo. A característica principal dos Karo são suas pinturas corporais; eles usam o branco do giz e o ocre da argila para decorar faces, braços e torsos. Depois da visita à comunidade, visita ao mercado de Demeka e ida a Jinka. Jantar e noite no lodge.
 
  • DIA 9: 19 de abril - JINKA - MURSI - JINKA

    Saída de Jinka para visita de um vilarejo da etnia Mursi, no Parque Nacional Mago e nos arredores. As mulheres Mursi usam um disco de argila que é inserido no lábio inferior da boca. O disco, de 2 cm quando jovem, pode chegar até 15 cm na idade adulta. Jantar e noite em lodge em Jinka.
 
  • DIA 10: 20 de abril - JINKA - KEY AFAR - KONSO - ARBA MINCH

    Visita rápida pela manhã ao Centro de Pesquisas do Sul do Omo. Às 11h, chegada em Key Afar para participar do mercado semanal. Todas as quintas-feiras, membros das etnias Banna, Hamer, Tsamey e Ari saem do campo e chegam à Key Afar (1.800 m) para vender seus produtos e comprar o que necessitam. Depois de terminado o mercado, iremos para Konso e Arba Minch. Jantar e noite no hotel em Arba Minch.
 
  • DIA 11: 21 de abril - ARBA MINCH - ADIS ABEBA

    Cedo pela manhã visita a um vilarejo Dorze, nas montanhas ao redor de Arba Minch. A etnia Dorze constrói suas casas com folhas secas do Ensete, a falsa-bananeira, estas casas podem chegar até 12 m de altura. Depois de um almoço cedo, ida ao aeroporto para embarque no voo ET 134/135 das 15h10, com chegada prevista à Adis Abeba às 16h45. Traslado ao hotel Júpiter. Resto da tarde livre para preparar malas. Jantar e noite no hotel.
 
  • DIA 12: 22 de abril - ADIS ABEBA - BRASIL

    Traslado ao aeroporto para embarque dos viajantes no voo ET506 da Ethiopian Arlines às 9:30 com chegada em São Paulo às 17:40. Final da viagem.